Viagens fora do corpo: o fenômeno da projeção astral

Entenda o que é o desdobramento e saiba como utilizá-lo a seu favor

Você já teve experiências fora do corpo físico? Não são poucas as pessoas que relatam a sensação de se desprender do corpo durante o sono, interrompida com a impressão de queda e o despertar assustado. Neste momento, muitos sentem pânico e medo, enquanto outros dizem sentir paz. É o que chamamos de desdobramento, a capacidade de projetar a consciência em uma dimensão extrafísica, podendo ocorrer também em outros estados de inconsciência, como no transe ou desmaio. Mas porque isso acontece? Que pessoas estão mais suscetíveis? A psicoterapeuta holística Maria Cristina Schaurich Beskow, 55, sendo 25 anos de atuação na área, esclarece as principais dúvidas sobre o desdobramento e fala sobre seus riscos e benefícios.

“Existem pessoas que saem do corpo com muita facilidade. Mas o ideal é que o desdobramento seja feito com o acompanhamento de um profissional da área para melhor esclarecimento”, enfatiza Maria Cristina

SONHO OU DESDOBRAMENTO?

A profissional explica que o desdobramento é uma técnica espiritual onde os campos vibracionais são tratados ou vivenciados em outras dimensões, ou em realidades paralelas. Quando a projeção astral ocorre no sono podemos denominar desdobramento natural (os campos vibracionais se dissociam involuntariamente, como num sonho) ou provocado (são utilizadas técnicas comuns na terapia de cura quântica, como a regressão e apometria ou arrometria). “A pessoa pode ir para outros tempos ou épocas. Normalmente é confundido com o sono se o desdobramento é feito enquanto ela dorme. No contrário podemos chamar a técnica de apometria (tratamento dos níveis de consciência e das energias)”, fala Maria Cristina, que diz ter desdobramento de forma espontânea durante os sonhos.

CORDÃO DE PRATA

Imagine o desdobramento como um mergulho profundo, no qual você fica ligado a um cabo que estipula o limite até onde deve ir. Assim é o cordão de prata, o meio de ligação que mantém o corpo astral preso ao corpo físico. A elasticidade do cordão de prata é incalculável, mas se houver desprendimento, resulta em morte.

OS BENEFÍCIOS

No desdobramento, o indivíduo pode libertar-se de aprisionamentos emocionais como também fazer uma nova reprogramação mental. “A partir do acesso ao primeiro pensamento como ser vivo, a nossa primeira partícula subatômica até o dia do nascimento no corpo físico, resgatando toda unidade do ser vivo, ou seja, reintegrando os campos ou corpos energéticos e a fisicalidade da matéria no corpo físico”, explica Maria Cristina. Uma vez restaurado o equilíbrio emocional e espiritual, desaparecem sintomas como dúvida, falta de foco, angústia, ansiedade, medo, pânico, entre outros.

ENTENDA A CAUSA

Segundo a terapeuta holística, o desdobramento ocorre porque o espírito muitas vezes está fragmentado em outras realidades (preso em registros passados ou estados consensuais, sejam eles bons ou ruins) e há uma necessidade de resgatar a unidade (ou seja, um todo), então ele vai à busca destes fragmentos que podem estar em outras épocas. “As lembranças são consideradas registros”, salienta.

ATENÇÃO

Há muitos materiais disponíveis na internet que ensinam a fazer o desdobramento por conta própria, mas essa prática exige responsabilidade. “Essas técnicas podem colocar em risco a pessoa, aumentando o nível de registro. Deve se respeitar acima de tudo a necessidade e a evolução espiritual de cada um”, alerta. Se a memória acessada for negativa, o indivíduo pode acordar e ficar com esse registro de forma muito presente e acentuada. “Por isso é muito importante a presença de um profissional da área que vai auxiliar na libertação destes aprisionamentos e registros, fazendo com que a pessoa traga para um nível consciente o problema e obtenha o distanciamento cada vez maior dessa lembrança e, com isso, chegue à cura”, frisa.

Por outro lado, existem profissionais renomados e confiáveis como Cristina Cairo, Mauro Kwitko e Brian Weiss que ensinam as pessoas a desenvolverem o exercício de desdobramento astral na web, conforme destaca a terapeuta.

DICA DE FILME

O filme de drama/romance “Nos Meus Sonhos” (2014) conta a história de um casal que vivia na mesma cidade, mas nunca havia se visto, apenas nos sonhos. Para Maria Cristina, neste caso é evidente a manifestação de desdobramento natural e espontâneo. “Suas almas se uniram através dos sonhos. Talvez pela busca do desejo de encontrar seu grande amor, o futuro providenciou. Eles se encontraram na realidade, puderam se tocar e nada se rompeu”, finaliza.

 

Fonte: Revista Linda (Edição 112 – abril de 2017).

Texto: Gabriel Rodrigues

Revisão: Marielle Rodrigues de Oliveira.

Sobre o autor

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues, estudante de Jornalismo, criador de conteúdo, repórter e fotógrafo.

Saiba mais

Deixe um comentário