Não fique mofando dentro de casa

Levanta o dedo aí quem já ouviu a expressão “tirar o mofo”, utilizada para dizer que determinada pessoa saiu do comodismo para fazer algo, pegou o caminho do sofá para a rua, evitando que o mofo se instale. Isto acontece quando você se sente parte da mobília, vive em um estado de prostração, apatia e preguiça e não tem ânimo algum para fazer nada, desde as tarefas mais fáceis do dia a dia até praticar atividade física (além de levantamento de garfo e correr uma maratona do sofá para a cama). Nessas horas vale a pena respirar o ar que sopra lá fora e conferir o que tem de novo na sua cidade.

Se o problema é falta de companhia, não permita que isso interfira na sua vida, a ponto de deixar o tempo passar pelos seus olhos sem ter feito nada, ainda mais quando alguém recusa seu convite para ir à sorveteria, ir ao cinema ou ao bar, por exemplo. Não caia na monotonia, não dependa de ninguém para ser feliz, simplesmente mexa-se! Saia da rotina de vez em quando, visite lugares novos, faça novas amizades, assim ficará mais fácil sacudir a poeira da inércia que paira sobre a sua vida.
Alguns cultivam o mofo e vivem numa curiosa relação. “Hoje me deu vontade de sair. Pronto, já passou. Prefiro ficar em casa”. Enquanto as condições foram favoráveis a ele, o mofo vai continuar atrapalhando e corrompendo a sua vida social. Quando você adota o mofo é ele quem te acolhe. A principal causa da aparição do mofo é a falta de ar (no sentido literal e metafórico). Então, faça o que a sua mãe diga: “Sai desse quarto e vai tomar um ar lá fora”. Quanto tempo vai levar para entender que o mofo só vai se despedir quando você der um basta e sair por aí? Da próxima vez, não pense duas vezes, diga: “Tô indo, já fui”. Certifique-se que a vida está passando enquanto você prefere viver fora sociedade, o que pode te levar à fobia social: a timidez e a insegurança são os únicos motivos que levam à rejeição. A vida é bonita demais para deixar de ser vivida por causa desses problemas que só existem dentro de você.
Carpe diem (do latim, aproveite o dia) é uma frase de um poema de Horácio que pode muito bem servir como lema de vida. Enxergar o mundo com os nossos próprios olhos, a frente dos vidros das janelas e das lentes das câmeras, é uma dádiva que de jeito nenhum pode ser desperdiçada. Aceite a vida como ela é, só não fique parado no mesmo lugar, siga em frente! Caso você não queira continuar sendo afetado pelo “mofo”, mantenha-se sempre em movimento, dedique seu tempo para melhorar a si mesmo e empenhado a alcançar suas metas e objetivos. Mofar assinala o começo da decomposição, ou seja, é quebrar a matéria em pedaços. Da mesma forma que o pão embolora por ficar muito tempo parado, acontece com você também. Portanto, viva o hoje intensamente. A vida não espera e o tempo não volta.

Sobre o autor

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues, estudante de Jornalismo, criador de conteúdo, repórter e fotógrafo.

Saiba mais

Deixe um comentário