Crie seu jardim de inverno

Bióloga ensina a montar vários estilos de jardim. Aprenda a planejar o seu

Já pensou em levar a natureza para dentro de casa? Sim, isso é possível! O jardim de inverno é um espaço destinado ao cultivo de miniaturas, flores e folhagens no ambiente interno, perfeito para quem não tem quintal. É uma boa pedida para os amantes de plantas ficarem próximos delas por mais tempo mesmo durante a estação mais fria do ano, além de criar um cantinho relaxante e aconchegante sem dar muito trabalho. A bióloga Simone Pohl, 45, dá algumas dicas de espécies para usar em seu jardim e, de quebra, sugere opções de decoração. “O jardim de inverno é uma ótima opção para quem não dispõe de muito espaço e também está com o orçamento reduzido”, recomenda.

FORA DO CONVENCIONAL

Conforme Simone, os jardins podem ser convencionais (é externo e necessita de uma área maior) ou de inverno (é interno, em espaços fechados e normalmente reduzidos). Nesse caso, as plantas utilizadas também são diferentes em função da luminosidade. “Além do aspecto estético, ele cumpre o seu papel de levar um pouco da natureza para o ambiente. Outra diferença relevante é a pouca manutenção e gastos menores”, destaca ela.

Embaixo da escada, vasos. Foto: Reprodução/ Divulgação

AMBIENTE ADEQUADO

Qualquer ambiente pode acomodar um jardim de inverno desde que este receba o mínimo de iluminação, como aponta Simone. “É muito importante escolher um local que tenha janelas ou paredes de vidro, que permita a luminosidade natural direta ou indireta sobre as plantas, assim irá permitir a entrada da luz no ambiente, viabilizando o processo de fotossíntese das plantas, importante para o crescimento e desenvolvimento destas”, esclarece a bióloga. Em ambientes cobertos, a utilização de uma claraboia ou um teto de vidro ajuda a manter o ambiente sempre iluminado. “Em residências é comum encontrá-los em áreas centrais, como sala, varanda, corredor, embaixo da escada e áreas”, diz.

Ambiente com boa iluminação. Foto: Reprodução/ Divulgação

Ambiente funcional, com claraboia. Foto: Reprodução/ Divulgação

MANUTENÇÃO

Dependendo do tamanho da área, a manutenção pode ser realizada semanalmente, com regas intercaladas, mas sempre de acordo com a necessidade de cada espécie e observando a umidade do solo. “Também é muito importante a reposição de mudas sempre que necessário e a remoção frequente de folhas mortas, assim o jardim sempre estará verde e bonito”, salienta. “O preparo do local onde será o jardim poderá ser feito com uma camada drenante de argila e uma mistura de terra adubada com substrato para em seguida receber o plantio direto de espécies já com porte maior, sendo fundamental a escolha adequada de cada espécie”, frisa.

DECORAÇÃO

Existem diversos elementos que podem compor a decoração do jardim de inverno, como vasos, fontes e cascatas de água, pedras de diferentes tamanhos e cores, luminárias decorativas e bancos de madeira. “Aposte em decks (podem ser confeccionados com paletes de madeira, por exemplo), que podem fazer toda a diferença no visual do jardim”, indica.

Suporte para vasos e plantas de madeira. Foto: Reprodução/ Divulgação

Jardim com banco de madeira e vasos. Foto: Reprodução/ Divulgação

Objetos de decoração: vasos e cascatas. Foto: Reprodução/ Divulgação

JARDIM VERTICAL

O jardim vertical, ou seja, com plantas na parede (plantas pendentes, como, por exemplo, as samambaias), vem ganhando espaço no mundo da jardinagem para ambientes externos e também internos. Este modelo ocupa menos espaço e se destaca em qualquer ambiente da residência, porém possui algumas desvantagens. “Requer maiores gastos com o material para a execução e um sistema de irrigação apropriado. Exige também uma densidade maior de vegetação para fechar completamente a área e a manutenção pede reposição de espécies com maior frequência para não deixar buracos aparentes. No entanto, o resultado é fantástico”, confirma Simone.

Jardim vertical. Foto: Reprodução/ Divulgação

10 PLANTAS IDEAIS

Por se tratar de um ambiente interno, a seleção de espécies específicas é essencial para a beleza e longevidade do jardim de inverno. As plantas que necessitam de pouca luz ou meia sombra são propícias para ambientes internos, que normalmente recebem pouca luz direta do sol. Entre as espécies mais utilizadas estão:

FOLHAS VERDES

. Zamioculcas zamiifolia (zamioculca)
. Philodendron cascata (filodendro)
. Chamaedorea elegans (chamaedorea)

Planta zamioculca em vaso de madeira. Foto: Reprodução/ Divulgação

FOLHAS COLORIDAS

. Dracenas: dracaena fragrans (pau-d’água) e dracaena reflexa (pleomele)
. Syngonium angustatum, remnum pinnatum (jiboia)

Dracaena fragrans vista de perto. Foto: Reprodução/ Divulgação

PLANTAS FLORIDAS

. Anthurium andraeanum (antúrio)
. Spathiphyllum wallisi (lírio-da-paz)
. Bromélias
. Cactáceas: mamillaria sp (mini cacto)
. Suculentas: echeveria sp (echeveria)

Flor antúrio. Foto: Reprodução/ Divulgação

Plantas suculentas. Foto: Reprodução/ Divulgação

Observação: as cactáceas e as suculentas exigem menos regas, no entanto, necessitam de mais luz.

IMPORTANTE

Observe e analise o espaço disponível, o estilo de vida e o número de membros da família, se existem crianças e animais de estimação, entre outros aspectos. É de fundamental importância também saber qual finalidade que o jardim de inverno terá, pois ele poderá ser um local de descanso, convivência, passagem ou apenas decorativo.

Para evitar transtornos, certifique-se de que as comodidades da residência, como fonte elétrica, abastecimento de água e drenagem, não serão afetadas pela implantação do jardim de inverno.
Tome cuidado na hora de decidir o número e o porte final das plantas.

Lembre-se de deixar algum espaço para manuseio. Um jardim de inverno desordenado não é um ambiente agradável. Ele precisa ser funcional em vários aspectos e não somente decorativo, podendo cultivar plantas ornamentais e aromáticas desde que elas sejam adaptadas à condição.

 

Foto de capa: Arno Smit/ Unsplash

Fonte: Revista Linda (Edição 113 – maio de 2017 / adaptado)

Texto: Gabriel Rodrigues

Revisão: Marielle Rodrigues de Oliveira

Sobre o autor

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues, estudante de Jornalismo, criador de conteúdo, repórter e fotógrafo.

Saiba mais

Deixe um comentário