5 motivos para deixar o WhatsApp de lado

A internet entrou em polvorosa com o bloqueio do aplicativo de mensagens instantâneas, WhatsApp, a partir da meia noite desta quinta-feira (17). Parecia que o mundo estava acabando, mas, para muitos, quase isso. A notícia do bloqueio do WhatsApp em todo o Brasil por 48 horas circulou rapidamente pelas redes sociais, pegando os usuários de surpresa. O Telegram e o Facebook Messenger foram alguns dos aplicativos sugeridos pelos internautas como alternativas para substituir o WhatsApp. 

Em meio a este ocorrido, percebemos o quanto as pessoas (incluindo eu, você e todos nós) são dependentes da tecnologia. O WhatsApp revolucionou a nossa forma de se comunicar, mas ao mesmo tempo que nos aproxima, nos afasta. Quem nunca participou de uma roda de amigos onde todos estavam conversando com outras pessoas pelo celular, em vez de dar atenção a você, que estava ali presente? Ou tentou conversar com alguém e essa pessoa não parava de digitar? A obsessão por celular chega a ser desesperadora. Veja 5 motivos para deixar o WhatsApp de lado (ou pelo menos tentar):

1) Em tempos de WhatsApp, estamos em todos os lugares ao mesmo tempo, mas parados no mesmo lugar por muito tempo. Basta acompanhar os hábitos da sociedade atual: está cada vez mais sedentária e conectada, onipresente e distante do presente.

2) Antes, costumávamos participar de conversas físicas com mais facilidade, olhávamos mais para quem estava em nossa companhia e vivíamos mais o mundo real. Hoje, as conversas rolam soltas através de telas e teclados e buscamos saber mais sobre o outro, que dar atenção a quem disponibiliza parte de seu tempo para nós.

 

3) Nesta era digital, agimos feito Thomas Anderson no filme Matrix, que ignorava o mundo em que vivia para viver em um mundo ilusório. Hoje em dia, uma mensagem de WhatsApp pode valer muito mais que um diálogo. Admiráveis por fora, ocos por dentro.
 
4) Em outros tempos, participávamos de eventos e grupos. Nos dias atuais, os eventos são realizados via Facebook e a maioria das atividades acontecem por meio de grupos no WhatsApp. Bem vindo à “realidade” de hoje.
 
5) O celular, muitas vezes, propicia a incapacidade de desfrutar momentos preciosos com nossos familiares e amigos. Ficamos presos ao WhatsApp fazendo ligações e trocando mensagens a todo instante. Da próxima vez, saia do WhatsApp e viva momentos especiais com quem está ao seu lado. 

 

ENTENDA O MOTIVO DO BLOQUEIO DO WHATSAPP NO BRASIL


A Polícia Civil de São Paulo vinha investigando uma quadrilha suspeita de roubo a bancos, caixas eletrônicos e envolvimento com tráfico de drogas, desde 2013. A Justiça havia autorizado a interceptação das conversas entre os criminosos pelo WhatsApp, mas a empresa não forneceu as informações, pois defende o sigilo de seus usuários.

 
O Ministério Público requereu o bloqueio do WhatsApp pelo prazo de 48 horas em todo o território nacional, com base na lei do Marco Civil da InternetA juíza Sandra Marques, da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo (SP), atendeu a solicitação. 
 
Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial em julho e foi notificada mais uma vez em agosto deste ano, com uma multa fixada em caso de descumprimento. 
O desembargar Xavier de Souza, da 11ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinou o desbloqueio do aplicativo, que voltou a funcionar no início da tarde desta quinta-feira (17). Conforme o desembargador, “não é razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa”, considerando o aumento do valor da multa a solução adequada. O valor da multa chega a 12,7 milhões de reais.
As operadoras de telefonia móvel estão se sentindo lesadas pelo WhatsApp e prepararam uma petição pública contra o aplicativo no último mês de agosto, alegando que o aplicativo fornece o serviço de voz a partir dos números de celular, que são outorgados pela Anatel. Além disso, as operados móveis pagam impostos para cada linha autorizada e querem que o WhatsApp seja regulamentado.

Sobre o autor

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues, estudante de Jornalismo, criador de conteúdo, repórter e fotógrafo.

Saiba mais

Deixe um comentário